Atualmente, são utilizados 2 tipos de CNAB pelo sistema bancário: o CNAB 400 e o CNAB 240. Ambos contribuem para a criação de um formato padrão nas funções de envio e recebimento das informações digitais. Conheça agora um pouco mais sobre cada um deles:

CNAB 400

Geralmente utilizado para arquivos com menor quantidade de informações e limitados a 400 posições por registro. Atende bem às necessidades de carteiras mais simples e da carteira garantida, fornecendo serviços de protesto e o envio de títulos via correios, mas não inclui o serviço de banco correspondente (lotérica e outros de instituições autorizadas pelo Banco Central).

CNAB 240

Nesse modelo de CNAB, os arquivos digitais trabalham com um número maior de informações. Para manter a organização, os dados são agrupados em 4 diferentes segmentos com 240 posições para cada título dentro de um mesmo arquivo.

Aqui, carteiras de cobrança simples e garantida também são bem atendidas e os serviços de banco correspondente estão inclusos, bem como o de postagem de títulos pelos correios. Além disso, serviços de agendamento de pagamento de contas, custódia de cheques e protesto podem ser utilizados.

É bom lembrar que o CNAB não é um serviço exclusivo aos bancos e qualquer empresa pode adotá-lo em seu sistema financeiro. O resultado é a otimização das operações de cobrança e pagamento de contas.


Fonte: http://nexaas.com/blog/cnab-o-que-e-para-que-serve-e-quais-os-tipos/